Skip Navigation

O cuidado com líderes no Discipulado

 

Pr Fernando Lopes Balthar
20 de noviembre de 2015

Algo tem sido altamente negligenciado na prática de uma igreja em discipulado. Há uma preocupação extremamente pertinente no ganhar e consolidar pessoas, no formar líderes para células/grupos pequenos, na multiplicação e crescimento da igreja, mas, muitas vezes, percebemos um descuido no discipulado e acompanhamento dos/as líderes e dos próprios pastores e pastoras. Em uma Igreja em discipulado, os/as líderes são peça fundamental; são eles/ as que, efetivamente, estão realizando o trabalho ministerial de ganhar, consolidar, treinar e enviar. Fazem isso através das células que lideram, doando seu tempo e dons para servir a Cristo, à Igreja e, principalmente, às pessoas. Ao mesmo tempo, os/as líderes pastorais possuem o encargo de cuidar dos/as demais líderes, supervisionar as células, manter viva a visão e missão do discipulado, além de todas as funções administrativas e ministeriais que lhe cabem.

Pastoreio e supervisão

Todo/a líder precisa de um pastoreio (cuidado) específico. Precisamos entender que a liderança é uma opção. Nem todos/as serão líderes de células ou ministérios. Contudo, uma vez que alguém assume uma liderança, o discipulado e o pastoreio não podem ser encarados como algo opcional. Todo/a líder de célula precisa participar constantemente de um Grupo de Discipulado (GD) de líder, ou uma célula de líderes. Nesse espaço, o/a líder precisa ser frequentemente e intencionalmente ministrado/a, ensinado/a, instruído/a e acompanhado/a. Mas não somente isso... Ali, o/a líder precisa também ser ouvido/a sobre todas as áreas da sua vida: familiar, profissional, sexual, sentimental, ministerial, etc. Ao ser ouvido/a, o/a líder precisa ser amado/a e ajudado/a a superar seus medos, frustações e dificuldades. O que normalmente ocorre, quando não há cuidado, pastoreio e supervisão, é que líderes animados/as ficam esgotados/as, células saudáveis começam a decrescer lentamente, frequentemente temos líderes abandonando suas células e ministérios e a frustação toma conta de muitos/as.

Pastoreio de Pastores/as

O/a líder pastoral necessita de pastoreio? Ele/a ainda é ovelha ou já não tem necessidades? É um/a herói/heroína espiritual e emocional ou também necessita de cuidados em sua vida? É carne e osso ou já não tem pontos fracos ou vulneráveis? As repostas das perguntas acima, apesar de óbvias, são grandemente ignoradas por muitos/as. Quando um/a pastor/a não tem quem cuide dele/a pastoralmente, ele/a sofre. Existem muitos/as líderes pastorais que sofrem sozinhos/as e calados/as por não terem um ambiente seguro no qual podem se abrir, expressando suas dores e dificuldades. O resultado é, em muitos casos, o esgotamento, pois os/as pastores/as se acostumam a se doar e nunca receber cuidado e discipulado. Muitas vezes a igreja, a denominação ou até o/a próprio/a líder pastoral acaba crendo que isso é “normal”, porque considera que se sacrificar dessa forma faz parte de seu papel de dar a sua vida pelas ovelhas.

Conclusão

Uma Igreja em discipulado não é somente uma Igreja que cresce. Esse crescimento é resultado de cuidado (I Co 3.7). Ser uma Igreja em discipulado e células é ser uma igreja que cuida não somente dos novos convertidos mas, principalmente, daqueles/as que estão realizando esse serviço de amor aos/às filhos/as na fé. Muitos escândalos, decepções, rachas e divisões podem e devem ser evitados se não negligenciarmos o que realmente é ser e fazer o que Jesus deseja de sua Igreja: Ser e Fazer discípulos/as (Mt 28.18-20). Nosso desafio é, como pastores/ as e líderes, sempre estarmos em um grupo de discipulado, sendo bem cuidados/as para podermos cuidar bem dos/as discípulos/as de Cristo. Que Deus nos ajude!

Pr Fernando Lopes Balthar

Igreja Metodista em Benfica -

Juiz de Fora/MG

http://www.metodista.org.br/content/interfaces/cms/userfiles/files/EC_NOV_15.pdf

Category: Lider
Tags: